DIRETORIA

Dados sobre a Diretoria da SABEH

NOSSOS MEMBROS

  • Membros
  • Membros
  • Membros
  • Membros
  • Membros
  • Membros
  • Membros
Presidente

Juracy Marques dos Santos

Pós-doutor em Ecologia Humana (FCSH-UNL-Portugal) e em Antropologia (UFBA), Doutor em Cultura e Sociedade (UFBA) e Mestre em Ciências da Educação (UNEB), área em que se graduou. Também é formando em Psicanálise (BAIANA DE MEDICINA). Atualmente é Professor Titular da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), onde coordena o mestrado em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (PPGECOH) e integra a equipe de Professores Permanentes do mestrado em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos (PPGESA). É Professor Adjunto da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Petrolina (FACAPE). Também participa da Licenciatura Intercultural para Povos Indígenas da Bahia. Coordena o Grupo de Pesquisa em Ecologia Humana (CNPQ-UNEB) e o Núcleo de Estudos em Comunidades e Povos Tradicionais e Ações Socioambientais (NECTAS/UNEB), onde vem desenvolvendo a pesquisa sobre os povos e comunidades tradicionais da Bacia do São Francisco. É membro do Grupo da Cartografia Social dos Povos e Comunidades Tradicionais do Brasil (UFAM). Hoje é o atual presidente da Sociedade Brasileira de Ecologia Humana - SABEH.

Vice-Presidente

Maria Cleonice de Souza Vergne

Possui doutorado em Arqueologia pela Universidade de São Paulo - USP (2004), mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (1990) e graduação em História pela Universidade Federal de Sergipe - UFS (1983). Atualmente é professora adjunta da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Coordenadora de Pesquisa do Centro de Arqueologia e Antropologia de Paulo Afonso/CAAPA.

Secretária

Alzeni Tomaz

Bacharel em Direito, atua como Educadora Popular e Pesquisadora junto aos Povos e Comunidades Tradicionais através do Projeto da Nova Cartografia Social do Brasil e do Conselho Pastoral dos Pescadores. Possui experiência na área de Direito, com ênfase, nos direitos ambientais, antropologia jurídica, direitos constitucionais e agrário e atua principalmente, nos temas relacionados a autodeterminação dos povos, territórios étnicos e etnoecologia. É Secretária Geral da Sociedade Brasileira de Ecologia Humana e membro do Instituto Acção.

Tesoureiro

Ricardo Barbosa Bitencourt

Mestre em Ecologia Humana e Gestão Sócio-ambiental pela UNEB - Campus VIII, graduado em Pedagogia e Espacialista em Educação, Ciência e Tecnologia pela Universidade do Estado da Bahia Campus VII. Possui formação complementar em Gestão Cultural (SESI-SP/SAI-MINC) e Tutoria Presencial (UAB-UFSCar). Atualmente é Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal do sertão Pernambucano Campus Petrolina (IFSertão-PE) tendo atuado com as disciplinas de prática pedagógica, especificamente as ligadas à Educação e Novas Tecnologias. Tem experiência na área de gestão cultural (2002 a 2008 - Diretor de Cultura do município de Senhor do Bonfim- BA e 2008 a 2010 como Representante Territorial de Cultura do Piemonte Norte do Itapicuru da Secretaria Estadual de Cultura da Bahia). É membro do GET-IFSertão e coordenador da linha de pesquisa #EscolaComoGame, onde desenvolve atividades de ensino, pesquisa e extensão sobre Tecnologia Educacional, Games, Gamificação e Cultura Digital.

Conselheiro

Bruno Barbosa Heim

Mestre em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental. Especialista em Direito Público. Bacharel em Direito. Professor de Direito da Universidade do Estado da Bahia - UNEB, campus VIII e Faculdade Sete de Setembro. Pesquisador vinculado ao Núcleos de Estudos em Comunidades e Povos Tradicionais e Ações Socioambientais (NECTAS). Consultor jurídico. Sócio da Vivenda Consultoria, Assessoria e Planejamento.

Conselheiro

Artur Gomes Dias Lima

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal da Bahia, mestrado em Ciências Biológicas (Entomologia) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA e doutorado em Biologia Parasitária pela Fundação Oswaldo Cruz - IOC/Fiocruz. Docente em Ecologia Médica e Orientador do Programa de Pós Graduação em Ecologia Humana - PPGECoH da Universidade do Estado da Bahia. Pesquisador Colaborador do Laboratório de Biomorfologia Parasitária - LBP do Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz-Fiocruz. Representante da Regional Bahia de Parasitologia e Professor Titular da Universidade do Estado da Bahia / UNEB, lecionando nesta Universidade, além da Parasitologia Humana, as disciplinas Saneamento e Vigilância à Saúde. Membro do Comitê de Ética em Pesquisa da UNEB e do Comitê de Iniciação Científica dessa mesma Universidade. É Professor Adjunto de Parasitologia, Biointeração e Fauna de Interesse Médico da Escola Bahiana de Medicina e Saude Publica. Referee da Revista Enfermagem Contemporânea da Bahiana. Tem experiência na área de Zoologia e Parasitologia Geral, com ênfase em Entomologia Médica, atuando principalmente nos seguintes temas: flebotomíneos e leishmanioses, triatomíneos e doença de Chagas, e, atualmente, na Parasitologia, com enteroparasitoses e ectoparasitoses humanas.

Conselheiro

Sandro Tuxá

Liderança indígena da comunidade Tuxá de Rodelas, situada no Vale do São Francisco na Bahia, tem 33 anos, jovem que acumulou anos de experiência na militância pela causa indígena na Bahia e no Brasi, tem sua luta e atuação reconhecida a nível nacional e internacional. Experiente em movimentos sociais, ele age de forma democrática e parcial na defesa dos direitos humanos. Dedica-se com muita luta e vontade para solucionar as questões que afetam a vida dos povos indígenas do Brasil, como também o povo negro, comunidades quilombolas, comunidades atingidas por barragens, em fim, todos aqueles que de forma direta ou indireta são excluídos e desrespeitados quanto aos seus direitos enquanto cidadãos brasileiros. Ligado ao movimento OPARÁ de revitalização do Rio São Francisco, Sandro Tuxá defende os direitos dos ribeirinhos. É estudante da Universidade Estadual da Bahia (UNEB) de Paulo Afonso, leciona na Escola da Comunidade Indígena Tuxá de Rodelas, membro do CNPI (Comissão Nacional de Política Indigenista), faz parte da APOINME (Articulação dos Povos Indígena do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo) e atualmente lidera um movimento de demarcação de terra tradicional Tuxá)